Você bebe agrotóxicos? Descubra se a água da sua torneira foi contaminada, de acordo com dados do Sisagua

Metodologia

O mapa é fruto de uma investigação em conjunto realizada pela Repórter Brasil, Public Eye e Agência Pública. Os dados utilizados são do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), do Ministério da Saúde.

Além do número de agrotóxicos na água por cidade, os dados permitem também enxergar a concentração dessas substâncias, que é medida em microgramas por litro.

Assim, a reportagem elaborou os dois mapas acima:

O primeiro (“Número de Agrotóxicos”) mostra a quantidade de substâncias detectadas em cada cidade de 2014 a 2017.

O segundo (“Concentração na Água”) compara as concentrações detectadas no mesmo período com os parâmetros de segurança estabelecidos pela regulação do Brasil e da União Europeia.

O mapa e a reportagem analisam informações de 2014 a 2017. Os dados foram obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação em abril de 2018. O banco é atualizado de modo constante e novas informações acrescentadas depois de abril de 2018 não estão no mapa. Depois que os dados foram enviados à reportagem, o Sisagua passou a divulgar as informações no portal Dados Abertos do governo federal, onde elas podem ser acessadas na sua versão mais atualizada.

A base de dados completa, recebida pela reportagem em abril de 2018, pode ser baixada neste link: base de dados enviada pelo Ministério da Saúde (cópia).

Como os dados estão classificados com termos técnicos de difícil entendimento, a reportagem consultou os manuais sobre a metodologia e entrou em contato com o Ministério da Saúde. Em janeiro de 2019, a pasta enviou os seguintes esclarecimentos, com as orientações sobre como ler os dados:

– “Valor Numérico, quando é possível quantificar a concentração da substância analisada”;

– “Menor que o Limite de Quantificação (< LQ), quando é possível identificar a presença, mas não a concentração existente”

– “Menor que o Limite de Detecção (< LD), quando a substância está ausente ou em concentração inferior àquela que o equipamento consegue detectar.”

Além desses indicadores, a base de dados também traz o código “VMP”, que significa Valor Máximo Permitido. O VMP indica qual é a concentração máxima na água que é considerada segura no Brasil.

O Sisagua reúne os resultados de testes que medem a presença de 27 agrotóxicos na água que abastece as cidades. As informações são enviadas por autarquias estaduais, municipais e empresas de abastecimento. A lei brasileira determina que os fornecedores de água no Brasil são responsáveis por realizar os testes a cada seis meses e apresentar os resultados ao Governo Federal.

Leia a reportagem sobre a contaminação da água nas cidades: “Coquetel” com 27 agrotóxicos foi achado na água de 1 em cada 4 municípios

 

Outras histórias

28.01.2021
México proíbe herbicida Glifosato e outros países do continente limitam seu uso

Decisão do governo mexicano é a maior vitória de uma luta travada em diversos países; Projetos de Lei no Peru e na Colômbia também tentam banir o agrotóxico

18.01.2021
Bolsonaro bate o próprio recorde: 2020 é o ano com maior aprovação de agrotóxicos da história

Foram 493 produtos aprovados, um número ainda maior do que 2019, antigo recordista; em dois anos de mandato, presidente liberou quase mil agrotóxicos

13.01.2021
Sem fiscalização, agrotóxico vira arma para violência doméstica

Brasil teve 305 casos de tentativas de homicídio com pesticidas na última década

08.12.2020
Aterro de agrotóxico proibido contaminou solo e água por quatro décadas em Minas Gerais, diz MP

Comunidade convive até hoje com efeitos da contaminação; Ministério Público busca na Justiça que a Aperam, empresa responsável pelo depósito, pague indenização de R$ 1,5 milhão para recuperar área

26.11.2020
Governo não divulga dados de 72% dos agrotóxicos, protegendo multinacionais

Justificativa de sigilo comercial beneficia multinacionais Bayer, Syngenta e Basf. Agrotóxicos sem dados divulgados foram detectados em 28% dos alimentos no país.

22.10.2020
Laranja, pimentão e goiaba: alimentos campeões de agrotóxicos acima do limite

Saiba quais são os alimentos com mais agrotóxicos proibidos ou acima do volume permitido e aqueles que oferecem risco imediato à saúde do consumidor. Cálculo de intoxicação da Anvisa ignora crianças com menos de 10 anos.

08.10.2020
Depressão e suicídio: 1569 brasileiros se mataram tomando agrotóxicos na última década

“Tive medo de ser um fardo”, conta agricultora com intoxicação crônica por pesticidas; contato com veneno pode levar a quadro depressivo

21.09.2020
Empresas escondem intoxicações de trabalhadores rurais por agrotóxico

Levantamento inédito revela que empresas não notificam casos de 2 em cada 3 trabalhadores com carteira assinada intoxicados por pesticida

Últimas reportagens

28 de janeiro de 2021
México proíbe herbicida Glifosato e outros países do continente limitam seu uso
18 de janeiro de 2021
Bolsonaro bate o próprio recorde: 2020 é o ano com maior aprovação de agrotóxicos da história
13 de janeiro de 2021
Sem fiscalização, agrotóxico vira arma para violência doméstica
8 de dezembro de 2020
Aterro de agrotóxico proibido contaminou solo e água por quatro décadas em Minas Gerais, diz MP